A falta que eu me faço.

tumblr_lked7ukRUN1qacpy3o1_500_large

Sinto falta da intimidade que a transparência traz. Do calor amigo que as máscaras afastam e do hábito que só uma troca de palavras sinceras constrói. Sinto falta de não me preocupar com os segundos dos meus movimentos, de não estar sempre preparada para o próximo desfecho trágico, de não sentir que meus pés se acostumaram a pisar em ovos. De não saber que meu coração nem reclama mais do pesar que isso traz. Sinto falta de fluir com meus instintos e de, certa ou errada, ainda ser inteira. Sinto falta da leveza, dos risos e da sinceridade que há em cada um de nós quando não destorcidos pelo medo. Sinto falta da segurança e do conforto das amizades. Da troca de olhares que só existe entre amigos que compartilharam segredos e de quando não era um costume mentir em frente ao perigo de ser descoberta. Sinto falta de estar tão tranquila e segura de mim mesma à ponto de me sensibilizar com o cheiro da chuva e o perfume das pessoas novas que chegam. Percebi que, depois de um tempo se concentrando em se camuflar, você inevitavelmente se esquece do simples e gigantesco resto que é o mundo. Da paz no peito que ele faz sentir. E que não consigo sentir daqui de tão distante, na minha falsa caixa de segurança e que de segura é apenas na certeza de que os dias passam como se eu não os estivesse perdendo. Sinto falta de tanto e, ao mesmo tempo, apenas de mim. Sinto falta de não ser um segredo. De existir. Da vida em sua pureza de quando você simplesmente se entrega a si mesmo. Saudade de ser!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s